segunda-feira, abril 23, 2007

Salve Jorge

"Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal."

Meu avozinho foi fazer compania para outro Jorge. Sentimos sua falta, mas temos a certeza de que ele está num lugar melhor. Meu avô não era o santo, mas foi guerreiro por toda a vida. Ele foi enterrado hoje, dia de São Jorge. Acho que não poderia haver melhor data para lembrá-lo. Ele deve estar montado em um cavalo branco olhando por minha avozinha e por todos nós.

quinta-feira, abril 19, 2007

Magnéticos

Chegaram os imãs do Júlio. Estava ansiosa para vê-los. Esses já têm destino certo. Vão de lembrança para uns amigos em Washington.
Não resisti e roubei dois, que já estão na minha geladeira.

domingo, abril 15, 2007

Teco

Os gringos acham que os esquilos não passam de ratos. Já para nós, brasileiros, são bichinhos bem fofos. Meu irmão, que mora nos EUA faz quatro anos, achou esse bebê esquilo no quintal de casa. Resgatou o pobrezinho e chamou o Controle de Animais, o Ibama deles.

sexta-feira, abril 06, 2007

Farra do boi liberada

Hoje eu me senti a pessoa mais otária do mundo. Em função da Páscoa, fomos visitar meus pais em Ganchos. Na volta, pela Armação, nos deparamos com uma grande movimentação. Pessoas sentadas nas calçadas, nos muros e andando no meio da rua uniformizadas com camisetas que anunciavam a festa. Total descontrole. Bebida ao volante, gente em cima dos carros... E por aí vai. Excitadas, as pessoas aguardavam o grande acontecimento, os bois para a farra. Na subida para o morro uma carreata de 200 veículos, entre eles carrões importados, escoltavam cinco caminhões que traziam os animais. Dentro dos carros as pessoas berravam e piscavam os faróis.

Indignada não entendia como as “autoridades” não enxergavam o que estava para acontecer. Paramos na barreira que havia numa das entradas do município e questionamos se a farra estava liberada. Os quatro gatos pingados explicaram que nada podiam fazer contra a multidão e que a função deles era atuar na barreira. Barreira do quê? O governo destaca força policial para não atuar e iludir os otários, que elegem os seus representantes no Legislativo. E estes fazem leis que não são cumpridas. Agora tenho certeza que nosso sistema não funciona. Enquanto isso... na terra de ninguém... cada um faz o que quer. Será que só os otários cumprem a lei?